ENGLISHPORTUGUÊS

BLOG

II Encontro de Florestas e Biodiversidade: a fauna e a restruturação da Mata Atlântica em foco

O II Encontro de Florestas e Biodiversidade, organizado pela Comuna do Ibitipoca, aconteceu em setembro. Em 2019, o tema que orientou palestras e rodas de conversa foi “A fauna e a restruturação da Mata Atlântica”. Durante três dias de evento, o grupo técnico do espaço, composto por biólogos, veterinários, agrônomo e engenheiro florestal, membros da comunidade local e convidados debateram assuntos da área ambiental.

Além disso, a participação de instituições governamentais, como o IEF – Instituto Estadual de Florestas e o IBAMA – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis foi fundamental para a assinatura de um acordo de intenções entre a Comuna do Ibitipoca e a Secretaria Estadual do Meio Ambiente. A Comuna, como um projeto socioambiental, está comprometida com a recuperação da fauna e da flora nativas da Mata Atlântica.

Para Beto Nardelli, engenheiro florestal e diretor de biodiversidade e cultura da Comuna, o encontro é importante por trazer discussões relevantes para o distrito e toda a região. Dessa forma, a equipe, ao estar inserida no conjunto científico ambiental, pode se atualizar com informações do ramo. Assim, um grande networking é realizado, com troca de conhecimentos e conexões.

Eventos como esse são frequentes na Comuna do Ibitipoca. A ideia é estar sempre em contato com temas socioambientais. Em 2018, o Encontro de Florestas e Biodiversidades aconteceu com foco na flora, considerando a rica diversidade do território. Como proposta para o próximo ano, 2020, Nardelli conta que a base para o congresso será a educação ambiental.

Programação e palestras

Com recepção no dia 18 de setembro, o evento começou com uma palestra direcionada aos desafios de se divulgar ciência em um mundo conectado. A apresentação foi ministrada pelo professor Hugo Fernandes Ferreira, da Universidade Estadual do Ceará. Depois da exposição, os presentes participaram de um jantar.

No dia 19, duas mesas-redondas propuseram discussões sobre a conservação de espécies da fauna ameaçadas de extinção e o manejo da vida animal. A ocasião também contou com palestra a respeito da importância do setor florestal na conservação dos animais da Mata Atlântica. A última fala teve como base a proteção das antas da região.

A data de encerramento, 20 de setembro, começou com palestras sobre políticas públicas e o tráfico de animais silvestres. Ainda de manhã, Érika Procópio, do Instituto Estadual de Florestas, discorreu acerca da situação de CRAS e CETAS em Minas Gerais. Em seguida, uma roda de conversa deu continuidade ao assunto do dia anterior.

À tarde, os participantes conheceram os projetos em andamento da Comuna do Ibitipoca. O II Encontro de Florestas e Biodiversidade terminou com a participação do dr. Antônio Malard e da dra. Liliana Mateus, diretores do Instituto Estadual de Florestas.

Muriqui-1024x922